GDF lança planejamento estratégico para o combate ao mosquito da dengue – Agenda Capital

0
194

Foto: Breno Esaki/Saúde-DF

Órgãos do governo definiram estratégias para reduzir focos e melhorar atendimento para o segundo semestre de 2019 e ano de 2020

Por Delmo Menezes

Representantes de diversos órgãos do Governo do Distrito Federal estiveram reunidos, nesta quinta-feira (25), na Academia de Bombeiro Militar, para definir ações de planejamento estratégico para o enfrentamento ao mosquito Aedes aegypti no segundo semestre de 2019, e em todo o ano de 2020.

Estiveram presentes representantes das secretarias de Saúde, Cidades, Educação, Agricultura e DF Legal, além de militares do Corpo de Bombeiros, Serviço de Limpeza Urbana e administradores regionais.

Foto: Breno Esaki/Saúde-DF

No encontro, foram apresentados dados referentes ao último boletim epidemiológico divulgado pela Secretaria de Saúde, a efetividade das tendas de hidratação e quais serão os próximos passos que devem ser adotados para evitar o crescimento de número de casos.

O secretário de governo José Humberto, representando o governador Ibaneis Rocha, afirmou que é preciso sensibilizar a população. “Não tem como encarar uma campanha dessa, de mudança de comportamento, se não sensibilizarmos a população. Para isso, precisamos criar um ambiente colaborativo”, destacou José Humberto.

De acordo com Divino Valero, subsecretário de Vigilância em Saúde, é importante o trabalho colaborativo de todos para o enfrentamento do Aedes. “Vamos fazer uma gestão compartilhada quanto às ações de combate à dengue. É preciso entender que o problema não é específico da Saúde. Vale destacar que 80% dos mosquitos e larvas coletados estão dentro dos domicílios. Então, é importante esse trabalho colaborativo, inclusive, da população”, pontuou.

AÇÕES – Entre as ações que deram certo, foi destacada a implementação das tendas de reidratação. “Foram feitos mais de 34 mil atendimentos, que conseguiram resolver 80% dos casos nas próprias tendas; 15% fez hidratação e somente 5% foram encaminhados para os hospitais”, frisou o subsecretário de Atenção Integral à Saúde, Ricardo Ramos, destacando que, se houver necessidade, as tendas poderão ser montadas novamente.

Os próximos passos incluem reforço da Atenção Primária, com contratação de médicos de família, construção e reforma de unidades básicas de saúde e capacitação de servidores. Uma parceria com a Secretaria de Educação, para capacitar agentes mirins, também está entre as propostas.

Segundo Valero, no começo de agosto será feito o Levantamento de Índice Rápido para Aedes aegypti (LIRA) e, a partir daí, será traçado o planejamento de atuação, definindo os locais e as metodologias utilizadas em cada um deles. “Mas, uma das primeiras ações, antes mesmo que os dados estejam coletados, será um encontro de nossa equipe com as administrações regionais, para saber de que forma eles poderão nos ajudar, seja com equipamentos, seja cedendo servidores, por exemplo”.

Ele citou, ainda, o planejamento para a informatização das atividades de campo, para obter dados de forma mais rápida, a compra de insumos que está em andamento para reabastecer a rede, o uso de drones para vigilância em imóveis fechados e uma capacitação para todos os agentes, que começa em 12 agosto.

TELEFONE – Durante a reunião, o secretário da Defesa Civil, Sérgio Bezerra, destacou que o número 199, que por meio de parceria com a Secretaria de Saúde passou a informar os locais de atendimento das tendas de hidratação, continua ativo para quem quiser denunciar focos do aedes.

Da Redação do Agenda Capital e Saúde