9 de agosto de 2022



Uma estudante da Universidade de Brasília (UnB) foi
esfaqueada sete vezes por um sujeito que lhe devia dinheiro. O bandido só parou
de desferir os golpes quando a faca ficou presa no peito da moça. Achou que ela
estava morta e fugiu. Ela foi socorrida e escapou. Ele foi preso pela polícia e
logo solto na “audiência de custódia”, a institucionalização da impunidade.
Restou à vitima, com medo, ficar presa em casa.

Isso precisa acabar

Estatística de entidades policiais mostram que as
audiências de custódia soltam mais de 70% dos criminosos presos, inclusive em
flagrante.

Estímulo ao crime

São freqüentes os casos de bandidos que, soltos
durante audiências de custódia, acabam consumando crimes ainda mais graves.

O crime compensa

Cansados dessa rotina, delegados agora soltam o
bandido após assinar o “termo circunstanciado”, outra invenção da impunidade.

LEIA TAMBÉM: 


[ad_2]
Source link

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.