12 de agosto de 2022



“A procura pela assistência social aumentou, pois a oferta também aumentou”. Uma frase constantemente proferida pelo governador Ibaneis Rocha em seus discursos, bem como pela secretária de Desenvolvimento Social, Mayara Noronha Rocha, ilustra bem o dado mais recente acerca dos atendimentos por essa política pública. De 2019 a maio deste ano, foram exatas 1.139.453 intervenções junto às famílias brasilienses.

“Seja para conceder um benefício, fazer uma escuta qualificada ou simplesmente dar uma orientação. Durante todo esse período, focamos sanar as demandas do cidadão e a ideia é intensificar esse trabalho”
Mayara Noronha Rocha, secretária de Desenvolvimento Social

A contabilidade envolve os Centros de Referência de Assistência Social (Cras), os Centros de Referência Especializados de Assistência Social (Creas) e os Centros Pop. Esses últimos, voltados para população em situação de rua.

“Seja para conceder um benefício, fazer uma escuta qualificada ou simplesmente dar uma orientação. Durante todo esse período, focamos sanar as demandas do cidadão e a ideia é intensificar esse trabalho”, destaca a secretária Mayara Noronha Rocha.

Em 2020, foram mais de 132 mil famílias atendidas. No ano seguinte, esse número subiu para mais de 175 mil. Nos primeiros cinco meses de 2022, já ultrapassou 125 mil. A projeção do setor responsável pelo levantamento de dados é alcançar cerca de 251 mil famílias até o fim deste ano.

De acordo com a pasta, são projeções baseadas no que já foi realizado até o momento e levando-se em consideração estimativas de crescimento da secretaria. Esse crescimento considera, por exemplo, a nomeação de novos servidores feitas nos últimos meses e a ampliação da capacidade de atendimento devido à contratação de entidade parceira que vai fazer a atualização e o preenchimento do Cadastro Único a partir dos próximos meses.

Os Centros de Referência de Assistência Social (Cras) têm papel fundamental nos atendimentos às famílias brasilienses | Foto: Divulgação Sedes

Por falar em Cadastro Único, já foram preenchidos 76.542, mais da metade se comparado ao ano passado, quando foram 123.553. Estima-se que, até o fim de 2022, seja computado um crescimento na casa dos 20%.

Porta de entrada da Política de Assistência Social, os Cras também apresentaram crescimento expressivo no atendimento às famílias. Dos 47 mil do início da gestão, houve um pulo para 198 mil em 2020; seguido de um salto para 510 mil no ano passado. Até o momento, o quantitativo beira os 330 mil em 2022.

Restaurantes Comunitários

No que diz respeito aos 14 restaurantes comunitários, em 2019, foram 3,9 milhões de refeições servidas; seguidas de 7,3 milhões e 7,9 milhões nos anos seguintes. Até o momento, já chega a quase 5 milhões em 2022. “Nesse caso, especialmente, vale citar a gratuidade para pessoas em situação de rua, devido à instalação da pandemia, bem como a ampliação de duas para oito unidades oferecendo café da manhã e a redução no valor, que já foi de R$ 3, para R$ 1”, explica a secretária.

*Com informações da Secretaria de Desenvolvimento Social

The post Mais de 1,1 milhão de atendimentos socioassistenciais desde 2019 appeared first on Agência Brasília.



Source link

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.